Quais óleos de cozinha são mais indicados para cozinhar

óleos de cozinha

A base para uma boa alimentação começa nas compras de supermercado. Na seção dos óleos de cozinha, a opção mais consumida é uma das menos saudáveis: o óleo de soja. Disso muitas pessoas sabem, mas poucas conhecem as melhores opções.

Óleos bons, gorduras boas

Os óleos vegetais, esses que são utilizados na cozinha, são enquadrados entre as gorduras insaturadas, as que são mais saudáveis e, em certas quantidades, são benéficas. Basicamente, esse grupo de gorduras é dividido em monoinsaturadas e poli-insaturadas.

As primeiras são famosas por diminuir o colesterol ruim e aumentar o bom, enquanto as outras são famosas por diminuir os dois tipos de colesterol.

Para poder dizer que um óleo é bom para ser usado na cozinha, dois fatores são importantes: sua quantidade de gorduras boas – principalmente as monoinsaturadas – e em qual é o ponto de fumaça.

O ponto de fumaça se refere à temperatura exata em que o óleo sobre mudanças em sua composição (por causa da alta temperatura) e forma uma nova substância, a acroleína, que é comprovadamente tóxica e associada ao surgimento de câncer.

Então, na hora de escolher um bom óleo, além das quantidades de gordura é importante considerar a resistência ao calor daquela variedade.

Melhores opções

A seguir, mostraremos as melhores opções de óleos de cozinha entre aquelas mais comuns à venda no mercado. As quantidades de gorduras indicadas referem-se à porção de uma colher de sopa. Confira.

  • Azeite de oliva virgem: são 1,86g de gordura saturada; 9,85g de gordura monoinsaturada; e 1,42g de gordura poli-insaturada. Seu ponto de fumaça é de 180º.
  • Óleo de palma: são 6,71g de gordura saturada; 5,03g de gordura monoinsaturada; e 1,27 de gordura poli-insaturada. Seu ponto de fumaça é de 232º.
  • Óleo de abacate: são 1g de gordura saturada; 9,23g de gordura monoinsaturada; e 1,69g de gordura poli-insaturada. Seu ponto de fumaça é de 271º.
  • Manteiga: são 4,6g de gordura saturada; 2,04g de gordura monoinsaturada; e 0,12 de gordura poli-insaturada. Seu ponto de fumaça é de 177º;
  • Óleo de coco extravirgem: são 11,2g de gordura saturada; 0,7g de gordura monoinsaturada; e 0,2g de gordura poli-insaturada. Seu ponto de fumaça é de 177º.

Piores opções

Agora, falaremos sobre as piores opções – que são infelizmente as mais famosas – que podem ser utilizadas na cozinha. Não falaremos sobre a quantidade de gorduras, mas os motivos pelos quais esses óleos não fazem bem à saúde.

  • Óleo de soja: óleo refinado que perde boa parte de seus benefícios dos ácidos graxos nos processos de refinamento;
  • Óleo de canola: dada a sua origem, a Colza, que é geneticamente modificada, o óleo de canola é reconhecidamente tóxico;
  • Óleo de girassol: outro óleo que perde boa parte de seus benefícios por causa dos processos de refinamento;
  • Azeite extravirgem: é ótimo em baixas temperaturas, pois seu ponto de fumaça é muito baixo (160º). Em altas temperaturas, se torna prejudicial;
  • Óleo de linhaça: também apenas indicado para preparos frios;
  • Banha: não possui efeitos tóxicos em seu cozimento como os outros óleos ruins, mas possui altas quantidades de gorduras saturadas e colesterol.

Na hora das compras, certamente vale a pena investir um pouco mais e fazer escolhas mais saudáveis. O corpo também precisa de gorduras boas, e os óleos saudáveis são suas principais fontes.

E então, gostou das dicas? Aqui no blog da VitaVale trazemos constantemente informações úteis para deixar nossos leitores mais próximos de escolhas saudáveis. Para poder usufruir ao máximo de uma vida com mais saúde, aproveite também os nossos produtos!

 

Com informações de D.M.