O que é a medicalização da alimentação e por que devemos evitá-la

Esses dias a medicalização da alimentação tomou conta da internet e acabou intrigando muita gente. Se você não sabe como esse tema veio à tona, nós vamos explicar: em suas redes sociais, Rita Lobo, uma apresentadora de culinária para a televisão criticou a maneira como as pessoas estão tratando suas alimentações diárias.

 

Mas afinal, o que é a medicalização da alimentação?

É o ato de ingerir os alimentos como se fosse uma obrigação de adquirir determinados nutrientes e vitaminas para o organismo, ou seja, optar pelos alimentos apenas por seu valor nutricional, e não pelo seu sabor, por exemplo.

Basicamente, toda essa ação de olhar e consumir os alimentos como se fossem remédios acaba tirando todo o prazer do ato de comer. Rita Lobo frizou bem que a alimentação serve, além de suas funções naturais para o organismo, para oferecer prazer – convenhamos, comer é muito bom, não é mesmo?

 

Então, o que devo comer?

De tudo. O segredo é não abrir mão dos alimentos. Não há nada de errado com o arroz e feijão diários. Seu prato deve ser versátil, com uma grande variedade de ingredientes bons. Opte pela alimentação saudável, repleta de alimentos naturais, vegetais, frutas, grãos, sementes, temperos, ervas. Não tem problema comer pão no café da manhã, por exemplo, mas é preferível que ele seja o menos industrializado e processado possível, e em quantidades moderadas. Valorize a alimentação caseira, não tenha medo de testar novas receitas e coma sempre o que você gosta, mas sem exageros e respeitando algumas regras que vamos explicar em seguida.

 

E o que não devo comer?

Em tese, sim, você pode comer de tudo, mas apenas se tratando dos alimentos menos processados. Segundo esse estilo de pensamento ao redor do consumo que vai contra a medicalização da alimentação, você pode e deve consumir a maior variedade de alimentos possíveis, como já explicamos anteriormente. O que deve ser evitado são os alimentos chamados ultraprocessados, que são fabricados com a alta adição de conservadores químicos, gordura, sódio e açúcar – sem eles, sua dieta já fica muito mais saudável.

 

Agora você já deve ter entendido: evitar tudo que é industrializado demais e comer o máximo de alimentos saudáveis possíveis sem abrir mão das suas refeições favoritas. Não precisa restringir o que come e nem mesmo seguir dietas rígidas demais para ficar bem e saudável.

E ainda: existem diversas pesquisas na área acadêmica que defendem e corroboram esse estilo de alimentação mais saudável que não exclui os alimentos da rotina sem que seja extremamente necessários, como casos de restrições alimentares.

A maneira mais eficiente de adquirir as vitaminas essenciais para o organismo é seguindo um alimentação variada e também consumindo suplementos naturais, como os da Vita Vale. Confira o nosso catálogo e adquira já o seu!

 

Fontes: Estadão, Catraca Livre, Uai.