Deixe sua Páscoa saudável e opte pelo chocolate amargo

Chocolate amargo - VitaVale

A Páscoa está pertinho de nós, chegando carregada de chocolates. Em meio às barras, ovos e caixas de chocolate que muitas pessoas vão dar e receber, fica difícil lembrar da dieta ou da saúde diante de tantas delícias.

De fato, não há nenhum problema em se dar ao luxo de comer alguns chocolates sem regra uma vez ao ano. No entanto, é bem mais leve para nossa consciência se nós optamos pelas opções mais saudáveis, não é? Elas existem, e se chamam chocolate amargo.

Muita gente se pergunta como o chocolate amargo consegue não fazer mal à saúde e até trazer benefícios, enquanto o chocolate ao leite é até visto como um vilão. Hoje, nós vamos responder essa dúvida. Olha só.

Chocolate amargo - VitaVale 2
Nas receitas ele também é mais bem vindo.

Cheio de substâncias boas

Os benefícios do chocolate amargo tem um nome: flavanóis. Eles compõem os sólidos de cacau, componentes dos chocolates “puros”, que costumam ser os mais amargos – quanto mais cacau, mais amargo será o chocolate.

Quantos mais flavanóis, mais saudável o alimento pode ser a saúde, uma relação que já foi comprovada. Atualmente, por exemplo, já se conhece a ligação dos flavanóis com a diminuição da pressão arterial e do colesterol, além da melhora da cognição. Pesquisas também estudam a relação desses componentes com a diminuição do risco de diabetes.

Além disso, o chocolate também conta com o ácido oleico, substância presente na manteiga do cacau. Esse ácido é uma gordura monoinsaturada ou uma “gordura boa”, que contribui para a saúde do coração. Os polifenóis, outra substância boa presente no chocolate amargo, ajuda a diminuir o colesterol ruim e a aumentar os níveis do colesterol bom.

Você também já deve ter ouvido falar dos antioxidantes, certo? Eles são substâncias que protegem o organismo dos radicais livres, que são substâncias desequilibradas que podem prejudicar processos importantes do corpo. O chocolate amargo também é recheado de antioxidantes, especialmente os flavonoides – grupo do qual os flavanóis fazem parte.

Só estão nos chocolates amargos?

 

Infelizmente, sim. Os chocolates comercializados normalmente não costumam ter muito dessas substâncias benéficas, já que elas estão presente por causa da alta concentração de cacau puro.

O chocolate ao leite, mais comum, contém muito pouco, enquanto o branco contém praticamente nada de algo benéfico. Além disso, a fermentação e a torrefação, partes do processamento do chocolate que dão sabor e aroma ao produto, também fazem com que os flavanóis sejam reduzidos.

Quanto mais amargo, mais cacau há presente no chocolate. Quanto mais cacau, mais benefícios o produto tem, especialmente pela concentração de flavanóis. O ideal é consumir uma opção que seja, no mínimo, 60% cacau.

Seu consumo é liberado?

Como qualquer outra coisa, o consumo em excesso do chocolate também faz mal. Mesmo tendo várias substâncias boas para a saúde, ainda existe uma concentração bastante alta de açúcar e gordura no chocolate, o que faz seu consumo ser bastante regrado.

O ideal é um consumo diário de 30 gramas por dia, o que equivale a 150 calorias. Na Páscoa, claro, nossa tendência é ir bastante além disso. Tenha em mente, porém, o quanto você está consumindo e quais substâncias fazem parte daquele produto.

A VitaVale não trouxe essas informações para estragar com seus planos de Páscoa, não. Nossa ideia é deixar seu feriado ainda mais delicioso, fazendo com que ele seja também mais saudável, sem peso na consciência.

Conte com a gente para mais dicas e informações sobre como manter uma rotina saudável!